Montana vence Saveiro e Strada

Fiat Strada, Chevrolet Montana e VW Saveiro

Fiat Strada, Chevrolet Montana e VW Saveiro

compara-picape

Depois de 12 anos passando por mudanças apenas no visual, a Volkswagen Saveiro enfim tem uma nova geração. E ela já chamou para a briga suas principais rivais, a líder de vendas disparada do segmento, Fiat Strada, e a campeã da eleição de melhor picape compacta publicada na edição de aniversário do Jornal do Carro, em agosto, Chevrolet Montana.

Mesmo com a vantagem da Strada, a Fiat já vinha se preparando para a chegada da Saveiro. Tanto que lançou versão cabine-dupla para a versão Adventure, algo inédito no mercado. E na semana passada, essa carroceria se estendeu à opção Working 1.4. Mas enquanto Strada e Saveiro se pegavam no mercado, quem venceu nosso comparativo foi a Montana.

Chevrolet Montana Chevrolet Montana

Correndo por fora, a picape da Chevrolet se destaca pelo ótimo preço inicial, de R$ 30.625. Já a tabela da Fiat parte de R$ 33.580 e a da Volkswagen, de R$ 33.690. Outro ponto positivo da Montana é sua enorme caçamba. Já o motor 1.4 briga de igual para igual com o 1.6 da Saveiro e a suspensão é tão eficiente quanto a da picapinha Volks.

Cheia de qualidades, a renovada Saveiro ficou encostada na Montana na briga pelo primeiro lugar. Já a Fiat chegou um pouco atrás, por deixar a desejar no conjunto mecânico e no visual cansado, mesmo com a reestilização feita em 2008.

VW Saveiro VW Saveiro

As fotos do comparativo são da Saveiro Trooper e a Strada Trekking, mais sofisticadas que as opções consideradas na reportagem, 1.6 e Working 1.4, respectivamente – ambas cabine-estendida.

A Montana tem apenas carroceria simples, o que não chega a ser um problema. Como veículo utilitário, ela é a mais adequada. Além de poder transportar até 730 kg, sua caçamba é a maior das três, com 1.143 litros de volume. Na Fiat, a capacidade total de carga é de 685 kg e na VW, de 715 kg.

Fiat Strada Fiat Strada

Os números são até próximos aos da Montana. Mas ambas ficam muito atrás quando se comparam seus compartimentos traseiros, de 800 litros na Strada e 734 litros na Saveiro.

Isso se deve ao compromisso das cabines estendidas, que são voltadas a quem precisa ter um espaço maior na cabine para levar objetos que não possam ficar soltos. Mas a Montana não chega a decepcionar, sendo capaz de abrigar até uma mochila (ou duas) atrás dos bancos, dependendo da posição deles. A cabine da Chevrolet fica no meio-termo entre as simples e as estendidas das rivais.

Quanto ao trem de força, a Montana se garante bem com seu 1.4 de até 105 cv, 1 cv mais potente que o 1.6 da Volkswagen, que se aproveita da cilindrada mais alta para entregar o maior torque do trio – são 15,6 mkgf, ante os 13,4 da concorrente.

Enquanto isso, o 1.4 da Fiat, de apenas 86 cv, vê essa briga de longe. Sem falar do câmbio impreciso, especialmente em relação ao da Saveiro.

CHEVROLET É BOA E BARATA – A Montana não conta com o fator novidade da Saveiro nem exibe uma linha repleta de opções como a Strada, mas se destaca na relação custo-benefício, fundamental num veículo utilitário. É a mais barata e a que tem o maior espaço para carga. E a cabine, apesar de ser a menor das três, está longe de ser claustrofóbica, proporcionando uma boa posição de guiar.

Mas seu pacote de equipamentos de série é dos mais simples, com destaques para o conta-giros e as regulagens de altura do banco do motorista e para a ancoragem superior dos cintos de segurança.

Cabine do Chevrolet Montana Cabine do Chevrolet Montana

Mas com o valor que se pede por uma de suas rivais, é possível levar com folga a picape da Chevrolet equipada com direção hidráulica, que eleva seu preço para R$ 32.056. E com o restante ainda dá para pagar o seguro. Na configuração completa, que acrescenta ar-condicionado, vidros e travas elétricos, alarme e preparação para som, o valor é de R$ 36.659.

Ela peca por não oferecer a possibilidade de colocar mais opcionais. Não há nada além dos já citados, a não ser acessórios vendidos nas concessionárias. Air bags e freios ABS, por exemplo, nem pensar.

Quanto ao comportamento dinâmico, a Montana se assemelha ao Corsa, compacto do qual deriva, com um rodar macio, mas seguro. Lançada no fim de 2003, tem desenho que ainda agrada, com vincos bem marcados nas laterais e degraus que ajudam a subir na caçamba, detalhe copiado agora pela VW na Saveiro.

VOLKS TEM PEGADA ESPORTIVA – Apesar de perder este primeiro comparativo no JC, a nova Saveiro mostra que chegou pronta para a briga. Além do visual atraente, com destaque para a traseira “musculosa”, ela é a melhor para quem gosta de uma condução mais esportiva, graças à direção rápida e à suspensão firme, mas nunca desconfortável.

A amplitude desta cabine estendida surpreende, sendo capaz de abrigar até uma mala grande atrás do passageiro, por exemplo. E como há um degrau, por causa do tanque de combustível, que invade o habitáculo, daria para um adulto se sentar transversalmente sem muito aperto. Mas um adesivo lembra que isso não é permitido, pois não há estofamento e muito menos cinto de segurança.

Cabine do Volkswagen Saveiro Cabine do Volkswagen Saveiro

Esse ponto vira negativo quando se analisa o mais importante aspecto de uma picape: a caçamba. Apesar de ela ter uma exclusiva mola a gás que suaviza a abertura e o fechamento da tampa, o espaço disponível para carga é o menor das três.

Assim como no Gol, a lista de itens de série deixa a desejar. Para levar equipamentos como calotas, conta-giros, porta-objetos nas portas, revestimento de tecido nas portas e laterais, entre outros, é preciso comprar o pacote Trend, que custa R$ 920. A capota marítima sai por R$ 580. Reforçar a segurança com dois air bags e freios ABS exige mais R$ 2.675.

MECÂNICA DA FIAT DEIXA A DESEJAR – A Strada ficou para trás neste comparativo principalmente por causa do conjunto mecânico. Não só pela potência menor do propulsor 1.4, mas também pelo câmbio de engates poucos precisos. A diferença para a rival da Volks, por exemplo, é enorme.

A arquitetura da suspensão traseira é uma de suas virtudes, mas também pode ser um ponto negativo. Os feixes de molas, comuns em caminhões e picapes grandes, dão resistência e permitem o transporte constante de cargas pesadas. Sem falar da robustez que pode ajudar quem roda muito na terra. No asfalto ela pula mais e faz a carroceria inclinar muito em curvas, limitando a estabilidade.

Cabine Fiat Strada Cabine Fiat Strada

Com a cabine estendida, a Fiat apresenta um bom compromisso entre o espaço interno e o da caçamba. Há boas soluções como o estepe, que pode ficar tanto atrás do motorista como na área de carga, dependendo da necessidade.

O recheio de série da Strada já é bom na versão Working. O ponto alto é o painel, que inclui alertas de limite de velocidade e de manutenção programada, computador de bordo e conta-giros. Também há calotas e para-choque dianteiro na cor da carroceria, entre outros equipamentos.

A lista de opcionais não é grande como nas versões Trekking e Adventure, mas tem boas opções. O pacote Celebration 6, por exemplo, custa R$ 5.200 e engloba ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricos. O kit com air bag duplo e freios ABS sai por R$ 2.827.

Fonte: Jornal do Carro

loading...

Escreva aqui !

4 Comentários

  • Gostaria de saber quando será colocada nas lojas a versão estendida !?

    Esta ficou muito interessante! Mas a que realmente me interessa é a versão estendida .

    Pretendo adquirir mais uma. Esta nova versão (…) mas o modelo estendido me interessa mais !!!

    Sou fã de picape . Abraço atenciosamente, Luciana.