Volkswagen Fusca – História, fotos e vídeos

Conheça a história do carro mais popular do mundo, o Volkswagen Fusca

O Volkswagen Sedan (Fusca) (português brasileiro) ou Volkswagen Carocha (português europeu) foi o primeiro modelo de automóvel fabricado pela companhia alemã Volkswagen. Foi o carro mais vendido no mundo, ultrapassando em 1972 o recorde que pertencia até então ao Ford Modelo T. O último modelo do VW Sedan foi produzido no México em 2003.

História

A história do Fusca é uma das mais complexas e longas da história do automóvel. Diferente da maioria dos outros carros, o projeto do Fusca envolveu várias empresas e até mesmo o governo de seu país, e levaria à fundação de uma fábrica inteira de automóveis no processo. Alguns pontos são obscuros ou mal documentados, já que o projeto inicialmente não teria tal importância histórica, e certos detalhes perderam-se com a devastação causada pela Segunda Guerra Mundial. Grande parte dessa história pode ser condensada como se segue:

O “Volksauto”

No início da década de 1930, no ano de 1931 a Alemanha era assolada por uma dura recessão, e tinha um dos piores índices de motorização da Europa. A maioria de suas fábricas era especializada em carros de luxo, montados à mão, e ainda muito caros. Por isso, e mais uma série de fatores, a ideia de um carro pequeno, econômico e fácil de produzir começou a ganhar popularidade. Era o conceito do “Volks Auto” – ou “Volks Wagen”, expressões alemãs que traduzem a ideia do “carro popular”.

Desde 1925 um conceito básico muito semelhante ao que viria ser o Fusca já existia, obra do engenheiro Béla Barényi (famoso projetista, responsável por várias melhorias de segurança passiva). Nos anos seguintes vários protótipos e modelos surgiam, como o Superior, da firma Standard, projetado pelo húngaro Joseph Ganz – este modelo inclusive era relativamente barato, cerca de 1500 marcos.

Até mesmo fora da Alemanha a ideia ganhava forma, com os aerodinâmicos Tatras ganhando as ruas da então Tchecoslováquia – carros estes que o próprio Hitler conhecia e admirava. Aerodinâmicos, resistentes e bonitos, possuíam motor traseiro refrigerado a ar, chassis com tubo central e eram obra do engenheiro austríaco ‘Hanz Ledwinka, um conterrâneo e amigo do futuro projetista do Fusca.

Esta ideia cativou também o projetista de carros austríaco Ferdinand Porsche, um conceituado engenheiro da época, que desde 1931 abrira seu próprio escritório de desenho. Ele também tinha os seus planos para o VolksAuto, planos estes que em breve começariam a ser postos em prática.

Logo assim que montou seu escritório ele recebeu uma encomenda da Wanderer (parte da Auto Union, atualmente Audi) para uma linha de sedãs de luxo. Apesar da proposta, o projeto resultante (que recebeu o n° 7, para dar a impressão de não ser o primeiro) era já um pouco semelhante no design ao Fusca.

O apoio de Hitler

Nesta época Hitler havia ascendido ao poder na Alemanha, estando comprometido com a modernização do país e a recuperação da economia, principalmente do emprego. Entusiasta por carros desde a juventude, Hitler via com bons olhos a ideia do carro do povo desde os tempos em que esteve preso, quando leu sobre Henry Ford. Para ele a ideia de um “carro do povo”, feito por trabalhadores alemães e viajando por todo o país, era a exata realização da plataforma política de seu partido.

Decidido a financiar uma empresa estatal para produzir os automóveis que trafegariam por suas recém-inauguradas Autobahns, Hitler deu sinal verde para o projeto. Três opções lhe foram oferecidas pelos engenheiros Josef Ganz, Edmund Rumpler e Ferdinand Porsche. Os primeiros dois eram judeus, e obviamente não agradaram a Hitler. Já Porsche era famoso pelo seu trabalho na Daimler, carros dos quais Hitler gostava, e, talvez mais importante, era amigo de Jacob Werlin, amigo e assessor para assuntos automotivos de Hitler.

Em meados de 1933, Werlin, que conhecia Porsche dos tempos da Daimler-Benz, intermediou o encontro de Porsche com Hitler. Neste encontro, Hitler mostrou-se bem informado sobre os projetos de Porsche na NSU e com opinião formada sobre o “carro do povo”. Hitler tinha pronto uma lista de exigências a serem cumpridas por Porsche, caso o contrato fosse efetivamente firmado:

  • O carro deveria carregar dois adultos e três crianças (uma típica família alemã da época, e Hitler não queria separar as crianças de seus pais).
  • Deveria alcançar e manter a velocidade média de 100 km/h.
  • O consumo de combustível, mesmo com a exigência acima, não deveria passar de 13 km/litro (devido à pouca disponibilidade de combustível).
  • O motor que executasse essas tarefas deveria ser refrigerado a ar, pois muitos alemães não possuíam garagens com aquecimento, e se possível a diesel e na dianteira.
  • O carro deveria ser capaz de carregar três soldados e uma metralhadora.
  • O preço deveria ser menor do que mil marcos imperiais (o preço de uma boa motocicleta na época).

Adolf Hitler solicitou que Porsche condensasse suas ideias no papel, o que ele fez em 17 de janeiro de 1934. Ele encaminhou uma cópia a Hitler e publicou o seu estudo chamado “Estudo Sobre o Desenho e Construção do Carro Popular Alemão”. Ali Porsche discorreu sobre a situação do mercado, as necessidades do povo alemão, sua convicção na viabilidade de um motor a gasolina e traseiro (ao contrário do que Hitler queria) e, principalmente, fez um estudo comparativo com outros carros alemães frente ao seu projeto, onde concluía pela inviabilidade de vender o carro por menos de 1.500 RM. Hitler leu o estudo, mas manteve-se irredutível quanto à questão do preço, o que preocupou Porsche.

Após alguns discursos sobre o projeto, Hitler finalmente colocaria a Associação de Fabricantes de Automóveis Alemães (RDA, na sigla em alemão) encarregada da execução do projeto. Apesar dos temores de Porsche, Werlin o convenceu a aceitar a verba de vinte mil marcos por mês para desenvolver o projeto. Assim, em 22 de junho de 1934 o contrato foi assinado, e os equipamentos foram instalados na casa de Porsche em Stuttgart. A equipe de Porsche era liderada por Karl Rabe, e contava com o designer Erwin Komenda (responsável pelo desenho da carroceria), Franz Xaver Reimspiess (que desenvolveria o motor final e o logotipo VW), Joseph Kales, Karl Fröhlich, Josef Mickl, Josef Zahradnik, e o filho de Porsche, Ferry.

Nomes Volkswagen Fusca pelo mundo

O Volkswagen Sedan recebeu alcunhas em quase todos os países em que foi vendido, normalmente versões locais para o nome do escaravelho (besouro), como em Portugal.

Já no Brasil, o nome Fusca é um pouco mais peculiar: a origem do nome no Brasil está relacionada com a pronúncia alemã da palavra Volkswagen. O fonema da letra V em alemão é algo como “fau” e o W é “vê”. Ao abreviar a palavra Volkswagen para VW, os alemães falavam “fauvê”. Logo que o Fusca foi lançado na Alemanha, ficou comum a frase “Isto é um VW” (“Das ist ein VW”). A abreviação alemã “fauvê” logo se transformaria em “fulque” e “fulca”. Segundo o especialista Alexander Gromow, “Desde que começaram a circular os primeiros Volkswagens, em 1950, também apareceu a corruptela da palavra Volkswagen passando pela influência da colônia alemã. (…)

Em Curitiba se fala ‘fuqui’ ou ‘fuque’, no Rio Grande do Sul é ‘fuca’. Mas em São Paulo, talvez por uma questão de fonética, acrescentaram o ‘S’ na palavra e o Volkswagen virou Fusca.”

Ao redor do mundo os nomes são geralmente relacionados a animais com formato parecido ao da carroceria:

  • Volla na África do Sul
  • Käfer ou Kugelporsche (“Porsche-bola”) na Alemanha
  • Coccinelle na Bélgica, França e Haiti
  • Peta (“tartaruga”) na Bolívia
  • Sedan e depois Fusca (ou Fuca/Fuque) no Brasil (veja detalhes acima)
  • ?????????? (Kostenurka, “tartaruga”) na Bulgária
  • Baratinha em Cabo Verde
  • Weevil no Canadá
  • Buba na Croácia
  • Boblen (bolha) na Dinamarca
  • Escarabajo ou Pichirilo no Equador
  • Chrobák na Eslováquia
  • Hroš? na Eslovênia
  • Escarabajo (escaravelho) na Espanha e parte da América Latina
  • Kakalardo no País Basco Espanha
  • Escarabat na Catalunha Espanha
  • Bug ou Beetle nos Estados Unidos
  • Põrnikas na Estônia
  • Kotseng kuba (literalmente ‘carro corcunda’), Pagong (tartaruga), Ba-o (tartaruga em Cebuano), Boks nas Filipinas
  • Kuplavolkkari (kupla, bolha) na Finlândia
  • ??????? (“Skathári”, besouro) ou ?????????? (“Skaravéos”, escaravelho) na Grécia
  • Cucaracha ou Cucarachita (“Barata” e “Baratinha”) na Guatemala.
  • Cucarachita (“Baratinha”) em Honduras.
  • Bogár na Hungria.
  • Kodok (“sapo”) na Indonésia
  • ?????? (“Ag-ru-ga”) no Iraque
  • Bjalla na Islândia
  • ??????? (“Hipushit”) em Israel
  • Maggiolino na Itália. Também conhecido pelo apelido carinhoso de Maggiolone
  • Vabalas na Lituânia
  • Sedán ou Vocho no México
  • Boble (“bolha”) na Noruega
  • Foxi no Paquistão
  • Garbus (“corcunda”) na Polónia
  • Volky em Porto Rico
  • Carocha em Portugal
  • Brouk na República Checa
  • Cepillo (“Escova”) na República Dominicana
  • Broscalanu’ or Broscu?a (sapinho) na Romênia
  • Bagge (contração de skalbagge, besouro) ou bubbla (bolha) na Suécia
  • Mgongo wa Chura (“costas de sapo”) e Mwendo wa Kobe (“velocidade de tartaruga”) em Swahili na Tanzânia (?)
  • Kaplumba?a ou tosba?a (“tartaruga”) ou vosvos na Turquia
  • Escarabajo na Venezuela.
  • Bhamba datya em Shona no Zimbabwe
  • Mbatsani (Amêijoa) ou Xifufu-n’hunu (Joaninha, Besouro) na língua Shangana em Moçambique

Evolução do VW Sedan no Brasil

A partir de 1950, o “Fusca” começou a ser importado para o Brasil. No dia 11 de setembro de 1950 desembarcaram no porto de Santos 30 Volkswagens e permaneceram por lá em exposição. O sucesso foi imediato, os veículos avaliados em CR$ 20.000,00 (vinte mil cruzeiros), foram vendidos pelo extraordinário valor de CR$ 60.000,00 (sessenta mil cruzeiros) cada veículo

O modelo importado era o conhecido “Split Window”, com vidro traseiro dividido em dois, modelo Export (havia o Standard, mais simples, nunca trazido para o Brasil).

Diante do sucesso, a empresa Brasmotor (ainda existente hoje, sob o nome Brastemp) começou a montar os veículos que era importados da Alemanha.

VW Fusca BBS

Fusca ganha turbo, rodas BBS, sonzeira e acessórios importados para curtir as noites de terça-feira no sambódromo paulistano.


Os Fuscas mais lindos

OS FUSCAS MAIS FORTES DO MUNDO

Fotos do Volkswagen Fusca

Fusca 5  Volkswagen Fusca   História, fotos e vídeos

Você pode saber tudo sobre o fusca na wikipedia.org/Volkswagen_Fusca

loading...

Escreva aqui !