Botafogo futebol e regatas

HISTÓRIA

HISTÓRIA

  Botafogo futebol e regatasTudo começou no colégio Alfredo Gomes, em Botafogo. Flávio da Silva Ramos, um menino de 14 anos, passava as aulas pensando naquele jogo entre Brasil e Inglaterra que assistiu no campo do Paissandu. Começava a surgir em sua cabeça a ideia de montar um time de futebol, até porque, um grupo de jovens de Laranjeiras e Flamengo havia fundado recentemente o Fluminense Football Club.

Um dia Flávio mandou um bilhete para o amigo Emmanuel de Almeida Sodré: "O Itamar tem um clube de futebol que joga na rua Martins Ferreira. Vamos fundar outro, no Largo dos Leões. Podemos falar ao Werneck, ao Artur Cesar, ao Vicente e ao Jacques. O que você acha?".

Na tarde de 12 de agosto de 1904, no antigo casarão do Conselheiro Gonzaga, que ficava na esquina da Rua Humaitá com o Largo de Leões, o clube passava da idéia a realidade. Um dos jovens levou à reunião um talão de recibos do extinto Eletro, clube de pedestrianismo, para cobrar os 2 mil-réis da primeira mensalidade e o nome acabou pegando. Aí, Itamar Tavares, que estudara alguns anos na Itália, admirador da Juventus, sugeriu as cores branco e preta, as camisas com listras verticais, iguais às do clube italiano, e calções brancos.

Antes da segunda reunião, a 18 de setembro, a avó de Flávio, Dona Chiquitota, se aproximou e perguntou: "Qual é o nome do clube que vocês fundaram?". Flávio Respondeu: "Eletro Club". Mas Dona Chiquitota não gostou do nome e então sugeriu: "Morando no bairro onde moram, o clube de vocês só pode se chamar BOTAFOGO". Assim, o Eletro Clube mudou seu nome para Botafogo Football Club. Basílio Viana desenhou a nanquim o primeiro escudo do clube: fundo branco, contornado de preto, com as iniciais B.F.C., também em preto e branco entrelaçadas.

A primeira diretoria foi formada por: PRESIDENTE – Alfredo Guedes de Mello; VICE – Itamar Tavares; SECRETÁRIO – Mário Figueiredo; e TESOUREIRO – Alfredo Chaves.

O primeiro campo ficou sendo o Largo dos Leões, com suas palmeiras imperiais servindo de balizas; o segundo, na Conde de Irajá, que em 1905 já não servia por falta de espaço para uma arquibancada. Em 1906, a sede era na casa do benemérito Alfredo Chaves, na rua São Clemente, 182, e o campo, na rua Real Grandesa, 11, alugado por 150 mil-réis.

O primeiro amistoso foi a 2 de outubro de 1904 contra o Football and Athletic Club, na rua Haddock Lobo na Tijuca. Resultado: 3×0 para o Botafogo.

As camisas listradas de preto e branco, encomendadas em Londres, só chegaram em maio de 1906, quando o Botafogo estreou no primeiro campeonato carioca.

Em 1907, o Botafogo terminou o campeonato em primeiro lugar, ao lado do Fluminense. O regulamento previa um jogo de desempate, mas o Fluminense não topou, virou a mesa e o campeão ficou indefinido até 1990, quando o Botafogo conseguiu, no Tribunal da Federação, a expressiva marca de 11 votos a 0. Assim, o título de 1907 foi proclamado ao seu verdadeiro merecedor: o Botafogo.

Vice-campeão de 1908 e 1909, o Botafogo consegiu seu segundo título em 1910 e passou a ser chamado de O GLORIOSO.

Em 1012, o dono do terreno onde o Clube armou sua primeira arquibancada social, não renovou o contrato e o Botafogo se viu novamente sem campo. Encontraram uma área abandonada onde seria construida aUniversidade de Brasil. Com a interferência de famílias ilustres, o Ministério da Justiça concordou em alugar o terreno por 300 mil-réis mensais e, entre 1912 e 1924, o Botafogo, renovando o aluguel, permaneceu em General Severiano. Em 2 de Janeiro de 1925, o presidente da República Arthur Bernardes sancionou projeto do Congresso Nacional autorizando aforamento do imóvel ao Botafogo.

Os projetos dos arquitetos Couchet e Memória foram obedecidos e, no dia 15 de dezembro de 1928, o Botafogo inaugurou sua sede colonial. A construção do estádio demorou 10 anos, por falta de verba. A obra projetada pelo arquiteto Rafael Galvão, só foi inaugurada na tarde de 28 de agosto de 1938, em jogo contra o Fluminense. Vitória do Botafogo por 3×2, gols de Patesko (2) e Perácio. O time: Aimoré Moreira; Bibi e Nariz; Zezé Moreira, Martim e Canalli; Teo, Pascoal, Carvalho Leite, Perácio e Petesko.

Em 1930, o Botafogo sagrou-se Campeão Carioca, feito seguido pelo até hoje inédito tetracampeonato de 1932,33,34,35.

Em 1942, 8 de dezembro, veio a fusão com o Clube de Regatas Botafogo, fundado em 1 de julho de 1894, sediado também em Botafogo e alvinegro. Primeiro no prédio onde hoje está o Colégio Andrews, depois no Mourisco.

O Botafogo conquistou um dos mais marcantes títulos de sua história em 1948, vencendo o "expresso da vitória" do Vasco da Gama. Isto ocoreu na tarde de 12 de dezembro em General Severiano e o placar foi de 3×1 para o Fogão.

Já em 57, outra grande conquista do Botafogo. Vitória humilhante sobre o Fluminense na final por 6×2, com show de Garrincha!!

Os dois Bi-campeonatos dos anos 60 também marcaram a história do Botafogo. Vencendo o flamengo por 3×0 no maracanã em 62, foi conquistado o primeiro bi. Em 68 foi a vez do vasco ser goleado: 4×0 no dia 9 de junho, e assim o botafogo conquistou o segundo Bi-campeonato da década. Pode-se destacar também as 3 conquistas do torneio Rio-São Paulo em 62,64,66.

O final da década de 70 marcou a fase mais difícil da história do Botafogo. A conturbada história que conta a perda de General Severiano nunca foi totalmente esclarecida. Sabe-se que o processo teve inicio em 1974, na administração de Rivadávia Correia Meyer, e teve seu fim no dia 12 de agosto de 1977, com o ex-dirigente Charles Borer. O certo é que o Botafogo vendeu seu Palacete Colonial à Companhia Vale do Rio Doce, forçando o Departamento de Futebol a mudar-se para Marechal Hermes, enquanto a antiga sede do Mourisco-Pasteur abrigou a Diretoria e os demais poderes do Clube. Coincidentemente ou não, o time alvinegro afundou em crises financeiras, fez campanhas medíucres e cada vez mais parecia distante de General Severiano. E também distante das glorias.

Mas no dia 22 de Janeiro de 1993, conseguimos ter aprovada, junto à Câmara Municipal do Rio, a Lei Complementar Número 37/92 que nos trouxe General Severiano de volta. Então, no dia 8 de fevereiro do mesmo ano, realizou-se uma enorme comemoração, reunindo nomes como Zezé Moreira, Nilton Santos, Zagalo, além de outros grandes botafoguenses. A bandeira alvinegra voltou a ser hasteada em nosso mastro, ao som de nosso maravilhoso hino. Voltamos pra casa!!

A volta para casa significa o fim do exílio, de uma luta que durou quase 20 anos, o resgate de um pedaço da história do Clube e da Cidade do Rio de Janeiro, o reencontro com a pátria alvinegra. Tudo isso aconteceu no dia 8 de dezembro de 1995, em pleno dia de Nossa Senhora da Conceição, padroeira do Clube. O Rio parou. Bandeiras, camisas, faixas, balões, gritos, lágrimas, sorrisos.

A festa começou às 11 horas, quando Montenegro, acompanhado do Governador em exercício, Luiz Paulo Correia da Rocha, e de Dom José Carlos de Lima e Vaz – "Botafoguense desde criancinha" – , cortou a fita inaugural do complexo Sócio-esportivo; e terminou às 22h30, quando mais de mil pessoas cantaram o Hino do Brasil, após uma sessão solene do Conselho Deliberativo.

Mas o ponto alto da festa foi a inauguração do Estádio Nilton Santos. Quando Nilton Santos entrou em campo, foi ovacionado pela multidão, que uniformizada e portando bandeiras alvinegras, lotava as arquibancadas e o campo. Coincidencia ou não, logo após à volta para casa, o Botafogo sagrou-se Campeão Brasileiro.

    FUNDADORES    

Os fundadores do Club de Regatas Botafogo, criado em 1894, e do Botafogo Football Club, de 1904. Estes dois clubes deram origem ao Botafogo de Futebol e Regatas em 1942.

Club de Regatas Botafogo

O Club de Regatas Botafogo foi fundado em 1894 a partir do Grupo de Regatas Botafogo, de 1891, idealizado por: Luís Caldas.

Fundadores do clube:

Alberto Lisboa da Cunha
Arnaldo Pereira Braga
Artur Galvão
Augusto Martins
Carlos de Sousa Freire
Eduardo Fonseca
Frederico Lorena
Henrique Jacutinga
João Penaforte
José Maria Dias Braga
Julio Kreisler
Júlio Ribas Júnior
Luís Fonseca Quintanilha Jordão
Oscar Lisboa da Cunha
Paulo Ernesto de Azevedo

Botafogo Football Club

O Botafogo Football Club foi fundado a 12 de agosto de 1904, com o nome de Electro Club, mas passou a seu nome definitivo a 18 de setembro do mesmo ano.

Fundadores do clube:

Álvaro Cordeiro da Rocha Werneck
Arthur César de Andrade
Augusto Paranhos Fontenelle
Basílio Vianna Júnior
Carlos Bastos Neto
Emmanuel de Almeida Sodré
Eurico Parga Viveiros de Castro
Flávio da Silva Ramos
Jacques Raimundo Ferreira da Silva
Lourival Costa
Octávio Cordeiro da Rocha Werneck
Vicente Licínio Cardoso

    CURIOSIDADES    

1892 Remadores saídos do Club de Regatas Guanabarense criam o Grupo de Regatas de Botafogo.

1894 O Grupo de Regatas de Botafogo se transforma em Clube de Regatas Botafogo.

1904 No dia 12 de Agosto, um grupo de adolescentes funda, na esquina da Rua Humaitá com o Largo dos Leões – em frente a antiga garagem de bondes da Light – o Eletro Clube. Na segunda reunião, por iniciativa de Dona Francisca Teixeira de Oliveira, muda seu nome para Botafogo Football Club. Botafogo era o nome pelo qual se conhecia o galeão português São Joao Batista, que tinha 200 peças de artilharia e seu poder de fogo era tão eficiente que o transformou no mais famoso barco de combate da Europa. No dia 2 de outubro , vestindo camisas brancas, realiza sua primeira partida.
1908 Inaugura seu primeiro estádio na rua Voluntários da Pátria, bairro de Botafogo.

1912 Muda seu campo jogo para General Severiano, em Botafogo.

1942 No dia 8 de dezembro, se funde com o Clube de Regatas Botafogo, dando origem ao Botafogo de Futebol de Regatas. Incorpora o distintivo com a estrela solitária.
1971 No dia 27 de junho, o juíz José Marçal deu o título ao Fluminense.
Clique aqui para ver a prova do crime

1977 Muda para Marechal Hermes. Inaugura o estádio "Glorioso", depois mudado para "Mané Garrincha".
1993 Volta para sede de General Severiano, em Botafogo.

OUTRAS CURIOSIDADES

    * Eleito pela Fifa, 12° maior Clube da História do Futebol
    * Eleito pela Fifa, 5° maior Clube das Américas
    * Eleito pela Fifa, um clube do século
    * Clube que mais cedeu jogadores à seleção brasileira em copas: 46 jogadores
    * Clube que mais cedeu jogadores à seleção brasileira em sua história
    * Deu 3 copas do mundo para o Brasil
    * Único tetra-campeão carioca
    * Clube carioca com mais títulos RIO-São Paulo
    * Clube carioca que mais jogou partidas internacionais
    * Primeiro clube carioca campeão nacional
    * Primeiro grande clube brasileiro a conquistar um título em 1906
    * Clube que mais teve artilheiro no campeonato carioca
    * Um dos 3 clubes brasileiros com mais de 100 títulos no futebol
    * Único clube no Brasil campeão nos três séculos, XIX, XX e XXI
    * Recorde de invencibilidades no futebol brasileiro: 52 partidas invicto
    * Recorde de invencibilidade no campeonato brasileiro: 42 jogos invicto
    * Único clube no mundo que em uma temporada (1 ano) ganhou 120 títulos
    * Entre os grandes clubes, é o mais antigo, BOTAFOGO desde 1894
    * Primeiro clube brasileiro a ganhar de uma equipe estrangeira
    * Primeiro clube brasileiro a ganhar de uma seleção
    * Primeiro clube brasileiro a ganhar de uma seleção estadual (vitória sobre a seleção paulista em 1906)
    * Clube brasileiro que deu a maior goleada no futebol brasileiro: 24 a 0 sobre o Mangueira.
    * Na seleção da Fifa dos maiores jogadores de todos os tempos, BOTAFOGO é o clube que mais tem jogadores selecionados
    * Clube que mais revelou craques no mundo
    * Dos 5 jogadores brasileiros que estao no Hall da Fama da FIFA, três são do BOTAFOGO: Nilton Santos, Garrincha e Didi

A crise e a Segunda Divisão

Desde o início dos anos 2000, o Botafogo flertou com o rebaixamento no campeonato nacional. Campanhas pífias foram realizadas em 1999, quando o clube escapou graças a pontos conquistados no STJD devido ao "Caso Sandro Hiroshi", 2000, 2001 e na culminação do rebaixamento em 2002. Elencos frágeis, sálarios atrasados, má gestão administrativa, baixa atendência aos estádios, início de movimentos de repressão de torcidas organizadas foram marcas desse período dramático da história do alvinegro.

No Carioca, o clube ficou várias vezes fora das semifinais da Taça Guanabara e Taça Rio no início do década de 2000. A equipe era frequentemente eliminada na primeira fase da competição pelo Americano de Campos, o que criou por parte dos rivais a alcunha de "quinta força" do futebol do Rio de Janeiro.

Para o Campeonato Brasileiro de 2002, a equipe sofreu com saída de vários jogadores do plantel antes do início da competição. O time que nos outros anos era liderado por Rodrigo, Dodô, Alexandre, entre outros, tinha como destaques os zagueiros Sandro e Odvan, o goleiro Carlos Germano, o volante Galeano e os atacantes Ademílson e Lúcio. Treinado a maior parte do campeonato por Ivo Wortmann, a equipe não conseguiu se consolidar e, já sob o comando de Carlos Alberto Torres, que assumiu nos últimos jogos da competição, perdeu para o São Paulo por 1 a 0, com gol de Dill, no Caio Martins.

Ao final daquele ano, terminava a gestão presidencial de Mauro Ney Palmeiro. O substituto era Bebeto de Freitas, ex-atleta e treinador de vôlei, que efetivara Levir Culpi para ser o técnico do alvinegro. O clube estava repleto de dívidas, com jogadores de empresários nas divisões de base, sem um lugar para treinar, sem patrocínios, sem um estádio que suportasse toda a sua torcida e com jogadores pedindo para não atuar mais pelo clube devido aos salários atrasados. O Campeonato Carioca de 2003 foi usado como "laboratório", mas sem sucesso. O time não se classificou para as semifinais, nem da Taça Guanabara, nem da Taça Rio.

O Botafogo iniciou o Campeonato Brasileiro Série B perdendo para o Vila Nova, em Goiás, por 2 a 1. Após um empate em 1 a 1 com o Avaí, a primeira vitória só viria na terceira rodada, fora de casa, contra o CRB, 3 a 0. Com o decorrer da competição o clube chegou a liderar o campeonato por várias rodadas, o que gerou por parte de torcedores rivais a alcunha de "25° colocado", já que, na Série A, 24 equipes disputavam a competição.

Ao final da primeira fase, o time se classificou em segundo lugar para a disputa da segunda fase. Novamente, ficou em segundo lugar, atrás do Marília em seu grupo, classificando-se para o quadrangular final contra Palmeiras, Marília e Sport. Na terceira fase, o Glorioso conseguiu reasceder à Primeira Divisão com uma rodade de antecipação, ao derrotar por 3 a 1 o Marília no reformado Caio Martins. Ao final da competição, ficou colocado como segundo na classificação, atrás do Palmeiras, outro clube que havia caído no ano anterior e retornado para a Séria A. O time base botafoguense durante a competição era: Max, Jorginho Paulista (ou Rodrigo Fernandes), Sandro, Edgar e Daniel; Fernando, Túlio, Valdo e Camacho; Dill (ou Almir) e Leandrão. Os artilheiros da equipe foram Almir com 12 gols e Leandrão com 11. Dill, o mesmo que levou o clube a Segunda Divisão fazendo o gol pelo São Paulo em 2002, fez 8 gols.

O presidente Bebeto de Freitas, durante esse ano de 2003, reestruturou o clube, pagou parte das dívidas, manteve arduamente o salário em dia, assinou com dois patrocinadores: Finta, para confeccionar os uniformes, e a rede de lanchonetes Bob’s, para estampar suas marca nas mangas da camisa e ajudar a construir arquibancadas temporárias no Estádio Caio Martins, e dispensou todos os jogadores de empresários das divisões de base do clube. Também foi criado o Botafogo no Coração, projeto de sócio-torcedor para angariar mais fundos para o clube e identificar seus torcedores.
 

Fonte wiki e Botafogo.com

loading...

Escreva aqui !

6 Comentários

  • Li a estória do Botafogo e achei interessante mas não vi nenhuma conquista de títulos internacionais relevantes. Excluindo torneios no exterior o Botafogo tem algum título internacional como Libertadores e Mundial de clubes ?? A FIFA promovia, naquela época, algum torneio oficial ?? Gostava muito quando o João Saldanha se referia a Libertadores dizendo: "Libertadores de quê se a America do Sul está cheia de Ditadores…" Foram os maiores botafoguenses que conheci, Sandro Moreira e João Saldanha… Infelizmente tivermos os Borer que afundaram o Glorioso..