Lúcifer de acordo com a doutrina cristã

Lúcifer de acordo com a doutrina cristã

  Lúcifer de acordo com a doutrina cristãA existência de seres espirituais(não-corporais), que a Sagrada Escritura chama de anjos, é uma verdade de fé. São criaturas puramente espirituais, dotadas de inteligência e vontade. São criaturas pessoais e imortais. Superam em perfeição todas as criaturas visíveis.

Santo Agostinho fala sobre a criação dos anjos:

“Com efeito, se no que Deus disse: Faça-se a luz e a luz foi feita, é razoável entender-se por essa luz a criação dos anjos, foram, sem dúvida, feitos partícipes da luz eterna, que é a própria Sabedoria imutável de Deus, conhecida pelo nome de Unigênito de Deus (Cristo) e pela qual foram feitas todas as coisas. Desse modo, iluminados pela luz que os criou, se tornaram luz e se chamaram dia pela participação dessa luz e desse dia incomutável que é o Verbo de Deus, pelo qual todos os seres foram feitos.”

Lúcifer (em hebraico, heilel ben-shachar, ???? ?? ???; em grego na Septuaginta, heosphoros) representa a estrela da manhã (a estrela matutina), a estrela D’Alva, o planeta Vênus, mas também foi o nome dado ao anjo caído, da ordem dos Querubins, como descrito no texto Bíblico do Livro de Ezequiel, no capítulo 28. uma nova interpretação dessa palavra, o chamam de Diabo (caluniador, acusador), ou Satã (do hebraico Shai’tan, que significa adversário).

  Lúcifer de acordo com a doutrina cristãO seu nome em hebraico, (???? ?? ???) significa estrela da manha, ou estrela da alvorada, ou luz da alvorada, expressões estas associadas ao planeta vénus que antes da alvorada, aparece como a primeira fonte de luz do dia que esta para nascer.

Lúcifer era o mais belo, sábio e poderoso ser criado por Deus, um querubim, (hierarquicamente estava no topo do coro angélico), Lucifer foi feito a partir do fogo no primeiro dia da criação. Sobre Lúcifer, fala o Livro de Isaías:

“Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao (Sheol), ao mais profundo do abismo.”
Isaías 14:12-15

A Queda de Lúcifer está na sua rebeldia, Deus fez tanto os homens quanto os anjos dotados de livre-arbítrio, Os anjos são puros espíritos, com inteligência e vontade, mas finitos.
Quando um anjo conhece algo, ama ou detesta, e, tomada a sua decisão jamais pode voltar atrás, como nós homens. Os anjos não se arrependem, porque sua compreensão é completa, não como a nossa que é deficiente, e nos permite retroceder de uma escolha.

É discutido por teólogos da rebelião de Lúcifer e os anjos que o seguiram, há aqueles que levantam a causa da rebeldia no motivo de que ao saberem que o Filho de Deus se encarnaria num homem, Jesus Cristo, eles se recusaram a adorá-lo, pois sendo homem, Cristo seria inferior a eles por ter natureza humana.

Ocorre que Cristo é também Deus, sua natureza é humana mas também divina, com isso ele é infinitamente acima dos anjos.

Outros teólogos levantam a hipótese que a causa da revolta teria sido outra. Eles teriam se rebelado por não aceitarem submeter-se a Maria Santíssima, que sendo puramente humana, nada tendo de divino, era superior aos anjos em virtude.

De qualquer forma, Lúcifer se rebelou porque considerou-se ser tão perfeito que poderia prescindir de Deus. Cometeu assim um pecado de soberba e de naturalismo, querendo ser igual a Deus.

A Expulsão
  Lúcifer de acordo com a doutrina cristã

“Houve peleja no céu. Miguel e seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seu anjos. Todavia não prevaleceram, nem mais se achou no céu o lugar deles.

E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama Diabo e Satanás, o sedutor de todo mundo, sim, foi atirado para a terra e, com ele, seus anjos.”

(Apocalipse 12:7-9)

Santo Agostinho fala sobre a desgraça de Lúcifer e os anjos revoltosos:

“A luz verdadeira que ilumina todo homem que vem a este mundo ilumina também o anjo puro, a fim de que seja luz não em si mesmo, mas com Deus. Se o anjo, se afasta dele, torna-se impuro, como todos os espíritos chamados imundos, que já não são a luz no Senhor, mas trevas em si mesmos, privados da participação da luz eterna. O mal não tem natureza alguma; a perda do ser é que tomou o nome de mal.”

Agostinho fala também sobre sua perversidade:

“Mas, dir-se-á, talvez, a palavra do Senhor no Evangelho: O diabo era homicida desde o princípio e não se manteve na verdade não deve limitar-lhe o crime ao começo do gênero humano, ao instante em que o homem criado se tornou vítima de seu engano; não, é ele que, desde seu princípio, infiel à verdade, expulso da bem-aventurada sociedade dos santos anjos, obstinado em sua revolta contra seu Criador, se mostra soberbo, orgulhoso do poder particular e próprio que o engana, sedutor desabusado, porque não poderia fugir à mão do Onipotente. E, como não quis permanecer, por piedosa submissão, o que na verdade é, aspira, na cegueira de seu orgulho, a passar pelo que não é. Assim se entenderiam as palavras do apóstolo São João: O diabo peca desde o princípio, quer dizer, desde que foi criado rejeitou a justiça, que não pode possuir sem vontade piedosa e submissa a Deus.”

Nosso Senhor Jesus Cristo fala sobre sua perversidade desde o princípio

“Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira” (João 8:44).

loading...

Escreva aqui !