A evolução do celular

A evolução do celular

A evolução do celular

cellphones2

A telefonia móvel veio substituir a linha física do telefone por um enlace de rádio, libertando-o do par de fios que o conecta à rede de cabos telefônicos.

As primeiras tentativas, na década de 50, possibilitavam o telefone em um automóvel, mas eram equipamentos complexos, de tamanho e consumo exagerados, que necessitavam de adaptações no veículo para o equipamento de rádio e baterias adicionais. Nessa época, ainda se fazia uso dos semicondutores, assim os equipamentos utilizavam válvulas com lógica muito limitada, resumindo-se em radiotransmissores móveis, que através de sinais fora da faixa ou FSK, discavam e acessavam a rede de telefonia fixa.

Essas primeiras estações móveis dispunham de um conjunto de canais e operavam em alta potência. A rede possuia um número reduzido de antenas, com baixíssima capacidade de terminais se comparado aos sistemas atuais (telefonia móvel digital), e com uso ineficiente da faixa de freqüências.

Nos anos 60 foram instalados sistemas móveis para atender às demandas inadiáveis de vários ramos de atividades.

Nos anos 70 aconteceram avanços fundamentais devido à disponibilidade de semicondutores e centrais de tecnologia digital, dando origem ao conceito de Telefonia Celular.

Várias questões técnicas e operacionais que precisavam de novas soluções para atender à mobilidade do terminal foram evidenciadas devido às experiências com os sistemas pioneiros, entre elas:

1. propagação das ondas de rádio face ao relevo e cobertura do solo;

2. limite até o qual o telefone móvel seria alcançável;

3. interferência entre canais;

4. uso eficiente das limitadas faixas de freqüência;

5. identificação dos terminais (numeração);

6. dimensão da rede móvel (capacidade máxima de terminais);

7. densidade variável dos telefones móveis de acordo com a hora do dia nos vários pontos da área.

loading...

Escreva aqui !

3 Comentários