Obama é twitteiro ativo

Se alguém quiser saber o que Barack Obama está fazendo neste momento, é só procurar notícias na Internet, mas existe outro lugar onde as pessoas poderão seguir o presidente dos Estados Unidos muito mais de perto: o serviço de micro-blogging Twitter.

Se alguém quiser saber o que Barack Obama está fazendo neste momento, é só procurar notícias na Internet, mas existe outro lugar onde as pessoas poderão seguir o presidente dos Estados Unidos muito mais de perto: o serviço de micro-blogging Twitter.

Como centenas de personalidades no mundo todo, Obama se uniu ao fenômeno Twitter.

Através do perfil da Casa Branca na rede social, seus colaboradores mantêm o resto do mundo informado sobre as atividades do presidente e outros membros de sua Administração, com mensagens de até 140 caracteres.

Obama ainda não tem tantos seguidores como o ator Ashton Kutcher – 2,3 milhões – ou a cadeia de notícias “CNN” – 1,9 milhões -, mas a Casa Branca pode comemorar por contar com quase 400 mil seguidores, um número nada desprezível.

De acordo com sua política de aumentar a transparência na administração pública e apoiar o uso das novas tecnologias, Obama se transformou em um ativo usuário de redes sociais como Twitter ou Facebook e outras agências estatais estão seguindo seu exemplo.

Desde que a Casa Branca começou a “twittar”, no início de maio, 30 agências estatais já entraram no Facebook. Mais de 25 órgãos oficiais dos EUA contam com canal próprio na rede de vídeos YouTube.

Além disso, a livraria do Congresso postou milhares de fotos históricas no Flickr e até as Forças Armadas têm suas próprias páginas no Facebook e no MySpace.

A Casa Branca também tem um perfil próprio no Facebook, com 253 mil contatos e informação sobre as atividades do presidente, fotos e centenas de comentários.

Em sua página do Twitter, a equipe de Obama promoveu ontem um chat ao vivo com Van Jones, assessor do presidente para “emprego ecológico”.

Entre as mensagens do presidente Obama deste fim-de-semana estava, por exemplo, uma reação aos protestos no Irã: “Insistimos ao Governo iraniano que pare com todas as atividades violentas e injustas contra seu próprio povo”.

“Acho que poderemos perceber um enorme aumento do uso das redes sociais na Internet pelo Governo”, assinalou o diretor de Recursos da Internet e Desenvolvimento entre Agências da Casa Branca, Bev Godwin.

No entanto, o projeto ainda está no início, pois a Administração esbarra com grandes dificuldades burocráticas na hora de usar as redes sociais e outros serviços na Internet.

De fato, os advogados do Governo tiveram que negociar acordos especiais com cada um destes sites para permitir que a Administração atue nele como um cidadão mais.

A equipe de comunicações da Casa Branca, por exemplo, não podia divulgar as atividades do Governo no Twitter ou no Facebook por causa dos filtros instalados em seus computadores para evitar o uso pessoal destas páginas.

Os membros do departamento de Novas Mídias, encarregados de escrever as mensagens, são uma exceção a esta norma.

Além disso, o Ata de Documentos Presidenciais obriga às agências governamentais a manterem uma cópia de tudo o que é publicado no Twitter ou no Facebook, que será arquivado para sempre em forma de e-mail.

Da mesma forma, a Administração guarda cópias de todas as respostas ou comentários dos cidadãos a seus “tweets” ou atualizações do Facebook e será registrado, inclusive, se o usuário é membro destas redes. EFE

loading...

Escreva aqui !