O Santana completa 25 anos como o primeiro sedã médio-grande da Volkswagen do Brasil. Em 1984 o carro vinha com equipamentos que nunca tinham sido vistos em um modelo da marca no País, com lavadores de faróis e toca-fitas com mostrador digital. No ano seguinte, foi lançada a versão perua, a Quantum, que também inovo no segmento. No auge da sua trajetória no mercado brasileiro, o Santana liderou a seqüência de modelos que receberam sistema ABS. Mas, com o tempo, o sedã foi perdendo seu prestígio, abalado pela chegada de carros mais modernos, até sair de linha em maio de 2006, com mais de 200 mil unidades vendidas e uma legião de fãs.

Eis a projeção de como seria o Santana dos dias atuais segundo o designer Eduardo Oliveira
Eis a projeção de como seria o Santana dos dias atuais segundo o designer Eduardo Oliveira

É principalmente para os que reconhecem o valor do sedã da Volkswagen que o designer Eduardo Oliveira fez as projeções de como seria o Santana hoje em dia. Qualquer semelhança com a nova geração do Golf e Jetta não é mera coincidência, como explica Oliveira: “, usei propositadamente a base do Golf europeu para mostrar que seria possível a produção de um novo Santana com baixo custo. Caso esse carro viesse a ser fabricado aqui, compartilharia, inclusive, as portas traseiras com a Quantum. Mas a principal característica do Santana está na traseira. “As lanternas finas e altas da primeira geração não poderia faltar”, diz o designer. “E por causa do pouco espaço, o logotipo ficou abaixo da placa”, complementa ele.

Veja em fotos como seria o Santana 2010 1
Volkswagen Santana e Quantum

Eduardo Oliveira
Traseira do Santana moderno vem com lanternas parecidas com as da versão original, de 1984. Na projeção, Oliveira propõe uma versão CC, com traços que lembram os de um cupê

A perua Quantum teve uma posição um pouco mais confortável que o Santana no mercado nacional pela falta de fortes concorrentes. Havia apenas a Caravan e a Belina, ambas extintas no início dos anos 90, além da Marea Weekend, a partir de 1999. Entre todas elas, a perua da Volkswagen sempre se destacou no ranking de vendas. Assim como o Santana, começou com apenas motor 1.8, mas passou a poder ser equipada com o 2.0 a partir da linha 89. Saiu de linha bem antes do sedã, em dezembro de 2001. Na projeção de Eduardo Oliveira, a perua teve o desenho das lanternas triangulares modernizadas, ficando com aspecto ainda mais elegante que os da Jetta Variant, modelo que serviu de base para o trabalho do designer.

Eduardo Oliveira
As lanternas reestilizadas da Quantum ficaram mais harmônicas do que as da perua Jetta Variant, modelo usado na projeção

Auto Esporte

30 COMENTÁRIOS

  1. eu tinha um santana 2002, 1.8 de cor branca eu amava este carro , mais um dia l para consertar o ar, e o rapaz bateu no poste detonou meu carro e um carro confortado para viajar, e velos ,estou procurando um igual mais esta dificil porque ele era todo original e nunca tinha sido batido.

  2. Nossa estou apaixonada por esse novo quantum, virou agora um sonho de consumo
    ja possuo um 99 e não vejo a hora de trocar de modelo.
    aguardo anciosamente..

  3. meu pai tem um santana 97 vermelho pensa num carro bom melhor do que esses hoje em dia espaçoso e bom no aselerado otimo nuca vou trocar de opiniao

  4. O SANTANA JAMAIS DEVIA SAIR DE LINHA.COM ISTO DISPAROU A VENDA DO ASTRA.VW DO BRASIL VOLTA A FABRICAR O SANTANA URGENTE , NOS MOTORES ,1.6 109 CVLS, E 2.0 145 CVLS .MAS BOM SERIA SE FOSSE NA VERÇÃO AP,RODAS EM DOIS MODELOS 16,E 15 NOS QUATROS FUROS .NA PROPAGANDA DARIA CERTO O LUAN SANTANA .CANTANDO ASSIM,MEU CORAÇÃO TA DISPARADO,O SANTANA TA DISPARADO NESTA LOUCURA VEIO PRA FICAR.VAI EM SEMDIAR OS FANS.RESUMINDO ESTE MODELO FICOU NT 1000.

  5. Trabalho no turismo,dirijo um Santana Quantum e digo não tem carro

    melhor. estou aguardando a nova versão, quero ser uns dos primeiro a compra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here